01/04/2019 às 15h40min - Atualizada em 01/04/2019 às 15h40min

Governador recebe mães de associações de autistas e propõe inclusão nas escolas

Ação vai envolver a Saúde e a Educação em um plano de atendimento médico regionalizado para diagnóstico e emissão de laudos


O governador Mauro Carlesse recebeu as representantes da Associação Anjo Azul de Palmas, Mileni Stefanini, e da Associação Mundo Singular de Gurupi, Flávia Marra, para abordar a importância do acesso à educação por pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Na rede estadual de ensino, são 160 pessoas matriculadas com o TEA, nas grades do ensino regular fundamental e médio. Os estudantes dispõem também de Atendimento Educacional Especializado (AEE) em salas de recursos multifuncionais e de atendimento em escolas especiais da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), por meio de convênio com a Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esporte (Seduc).

Segundo as representantes das associações, o Estado possui atualmente 550 pessoas com laudos médicos de autismo, mas esse número não representa a quantidade existente, pois muitas famílias carentes e em regiões de difícil acesso aos profissionais neurologistas e psiquiatras seguem sem o atestado médico, o que dificulta o seu direcionamento e desenvolvimento.

Presente na reunião, a titular da Seduc, Adriana Aguiar, também ressaltou a importância do laudo médico para a inclusão do aluno autista. “Hoje, temos o atendimento especial e direcionado para o aluno autista, mas ainda existem lacunas que só podem ser preenchidas pelo atestado do profissional. Muitas famílias querem um professor capacitado e exclusivo e a rede estadual de ensino, por regulamentação, só pode dispor mediante este laudo”, explicou.

Para o governador Mauro Carlesse, a falta de um laudo não deveria ser impedimento para levar a educação a uma criança com autismo. “Se o problema é o laudo médico, o Estado vai buscar a viabilidade de levar a equipe médica de neurologista e psiquiatra até as famílias. Com uma comitiva para elaborar o atestado, a Educação poderá fazer um plano de trabalho que possa melhor atender ao aluno especial”, afirmou.

A ação proposta pelo governador vai envolver a Saúde e a Educação, que vão trabalhar em um plano de atendimento médico regionalizado para diagnóstico e emissão de laudos dos casos existentes, seguido de um plano de ação e inclusão elaborado pela Seduc, que inclusive contempla a formação de professores.

Além do governador Mauro Carlesse, da titular da Seduc, Adriana Aguiar, e das representantes da Associação Anjo Azul, Mileni Stefanini, e da Associação Mundo Singular, Flávia Marra, o secretário de Estado da Saúde, Renato Jayme, também participou da reunião. (Secom).
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento