26/07/2019 às 12h28min - Atualizada em 26/07/2019 às 12h28min

Desembargadora e dois juízes ganham quase R$ 1 milhão em um mês


A maioria dos trabalhadores brasileiros ganha, em média, 1 salário mínimo.  Mas esse não é o caso de 1 desembargador e dois juízes. Eles podem esbanjar.
 
O péssimo exemplo veio do Tribunal de Justiça  de Minas Gerais, onde  teto do valor  do subsídio dos desembargadores do Tribunal de Justiça é de
 R$ 35.462,22.
 
Mas em julho essa cifra subiu para 12 vezes o valor pago mensalmente. Somente uma desembargadora e dois juízes  receberam juntos, em valores líquidos, quase R$ 1 milhão. Tudo por causa das indenizações e das chamadas 'vantagens eventuais', que são verbas variáveis.

Na folha de julho, relativa ao mês trabalhado em junho, chama a atenção o vencimento da juíza Lúcia de Fátima Magalhães Albuquerque Silva, que recebeu o valor líquido de R$ 450.070,44. 

Somente de vantagens eventuais foram R$ 415.386,72. Outros R$ 331.435,28 foram pagos à desembargadora Hilda Maria Pôrto de Paula Teixeira da Costa, que teve R$ 303.096,37 de vantagens eventuais. Já o juiz João Rodrigues dos Santos Neto teve direito a um contracheque de 174.395,78, sendo R$ 147.810,62 de vantagens eventuais.


No mês anterior, os vencimentos desses três magistrados também superaram o teto, porém foram bem menores. Com R$ 86,6 mil da verba variável, a juíza Lúcia de Fátima recebeu um contracheque de R$ 115,1 mil líquidos. 

Também na folha de maio, paga em junho, 257 magistrados receberam valores líquidos acima de R$ 100 mil. O maior contracheque dessa folha chegou a R$ 468 mil líquidos, pagos a uma juíza. O subsídio para magistrados desta categoria é de R$ 33.689,11.


As informações estão disponíveis no site da transparência. (informações em.com).
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento