12/06/2019 às 15h53min - Atualizada em 12/06/2019 às 15h53min

Diretora teria perdido cargo por ser “negrinha de assentamento sem voto”

Alberto Rocha - Alberto Rocha



Alberto Rocha
 
População do Distrito de Goiani dos Campos,  Colmeia , a 230 km de Palmas,  está revoltada e indignada com a retirada da diretora de uma escola da localidade sob a alegação de ser “negrinha de assentamento e sem voto”.
 
A professora Diana, que é especialista em educação, teria sido substituída por outra diretora a pedido de um deputado estadual com forte colégio eleitoral na região. O pedido para a saída da diretora da escola teria sido feito por uma assessora de um secretário de Estado, que teria afirmado que Diana “não tem voto”.
 
A exoneração de Diana teria sido publicado no Diário Oficial ainda de abril. Ela nega que não foi avisada sobre a perda do cargo e deixaram que ela continuasse respondendo pela direção da escola. Diana disse que só  ficou sabendo  que não era mais a diretora da escola quando foi receber o salário, quando recebeu a menos.
 
“O que fizeram com ela foi uma tremenda covardia, só porque ela de assentamento, isso não tem nada a ver, o que importa é a capacidade dela para ser diretora da escola”, disse uma professa, colega de Diana.
 
Comunidade, professores, alunos e grupo estudantil de Goiani dos Campos, estão protestando contra a retirada da professora da Unidade Escolar.
Para os alunos, Diana é muito querida na escola e incentivadora. “Queremos a Diretora Diana de volta porque, além de amiga, ela é uma incentivadora, queremos que ela volte para a direção da escola”, diz aluno em vídeo que circula nas redes sociais.
 
O portal de notícias otocantins entrou em contato com a seduc, via e-mail, para que a pasta falasse sobre o assunto, mas até o fechamento da matéria não houve resposta.
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento