02/04/2019 às 10h23min - Atualizada em 02/04/2019 às 10h23min

Em Araguaína a coisa está feia: até o Daniel Evangelista entrou na bala

Alberto Rocha - Alberto Rocha

Não me venham com história fiada. Em Araguaína a vida não está fácil para o cidadão.  Dificilmente temos um dia em que não haja um crime de assassinato. A coisa está feia.
 
O pior de tudo é que tentam colocar tudo na conta das facções, como se isso resolvesse o problema da insegurança pública.  Em vez disso, as autoridades deveriam chamar para si a responsabilidade e enfrentar com determinação esse tsunami  do crime que parece dominar os quatro cantos da segunda  maior cidade do Estado.  Diga-se também que a culpa não é das Polícias Militar ou Civil, que já trabalham dia e noite no sacrifício na segurança à população.
 
Mas nesse momento não se busca culpado, mas ações de combate ao crime. Os responsáveis pela segurança pública precisam sair dos gabinetes refrigerados da capital  para tomada de decisões eficientes e urgentes, caso contrário, a população  de Araguaína não saberá mais a quem pedir socorro.
 
Quais os motivos de tanta violência em Araguaína? Ninguém sabe, e se sabe ninguém responde. Mas é possível dizer que as principais causas da violência na cidade são associadas, em parte, a problemas sociais como miséria, fome, desemprego. ... Além disso, um Estado ineficiente e sem programas de políticas públicas de segurança, contribui para aumentar a sensação de injustiça e impunidade, que é, talvez, a principal causa da violência.
 
O que aconteceu com o conhecido, polêmico e emblemático repórter de TV, Daniel Evangelista, famoso pelos seus jargões, pode acontecer com qualquer um de nós. Nossa torcida pela recuperação desse grande profissional da comunicação araguainense. Mas aqui vai um aviso: Todos nós estamos reféns da bandidagem, seja dentro de casa ou nas ruas (Artigo de opinião- Alberto Rocha- jornalista).
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento