19/07/2019 às 07h53min - Atualizada em 19/07/2019 às 07h53min

Maranhão invade o Tocantins e toma ilha no Rio Tocantins; população teme cobrança de pedágio para usar única praia do local

Alberto Rocha - Alberto Rocha


Alberto Rocha 
 
Não foi preciso a utilização de tanques de guerra, nem de bombas tampouco de pelotões de soldados armados para que o Estado do Maranhão tomasse a ilha Cabral, que fica no meio do Rio Tocantins, na divisa entre os Municípios de Estreito (MA) e Aguiarnópolis (TO), a 500 km de Palmas, capital do Tocantins.
 
A história absurda da invasão da ilha Cabral lembra o filme “Invasão da América”, que mostra a antiga União Soviética e Cuba invadindo,  na calada da noite, uma pequena cidade nos Estados Unidos, que reagiram, retomando a cidade das garras dos comunistas soviéticos.
 
No caso da tomada da Ilha Cabral por parte do Maranhão não houve luta nem resistência do lado tocantinense. O Estado apenas dormiu no ponto ou ainda não tomou conhecimento da invasão repentina da Ilha.
 
O Maranhão usou da esperteza como estratégica para tomar a Ilha. O Estado realizou um novo georreferencimento estadual, que é a definição  de novas formas, localização e dimensão geográfica de uma região.
 
No novo mapa do Maranhão, a Ilha Cabral, que ficava do lado do Tocantins, no Município de Aguiarnópolis, agora aparece do lado do Estreito (MA). Com isso, Aguiarnópolis fica sem o único ponto turístico da cidade e da região. Além disso, a população teme ainda pagar pedágio daqui para frente pelo uso da praia.
 
A reação foi imediata. Para o funcionário público e ex-vereador  de Aguiarnópolis, Julimar Brito, a Ilha Cabral pertence ao Tocantins. “A ilha Cabral é nossa. O limite, quando é por água, é por onde passa o canal mais fundo do rio, que está do lado direito da ilha, no caso, pelo lado do Tocantins. Nesse caso, a ilha pertence ao Tocantins. Por isso, exigimos a devolução da nossa ilha, onde está a nossa única praia.”, afirmou Julimar.
 
De lados opostos vê-se o patriotismo dos tocantinenses e dos maranhenses na luta pelo símbolo da resistência, a Iha Cabral.  Mas apesar da invasão, os moradores das duas cidades vizinhas  não se veem como inimigos, nem querem troca de chumbo, preferem o caminho da diplomacia. “Não importa o que houve, seremos sempre amigos, mas queremos a ilha de volta”, disse um dos moradores de Aguiarnópolis.
 
Governadores
 
O Maranhão é governado pelo comunista Flávio Dino, ex-juiz, reeleito e filiado ao Partido Comunista do Brasil.
 
Já o Tocantins é governador pelo democrata,  Mauro Carlesse, reeleito e filiado ao DEM.
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento