30/05/2019 às 07h18min - Atualizada em 30/05/2019 às 07h18min

Prazo para prefeito demitir a esposa da prefeitura está se esgotando

Alberto Rocha - Alberto Rocha


Uma prática que parece que virou costume nos quase 139 municípios do Tocantins: prefeitos empregar parte da família em cargos de confiança.
 
No norte do Estado, Filadélfia, a 500 km de Palmas e a 110 de Araguaína, cidade que fica na divisa do Tocantins com o Maranhão, o Ministério Público flagrou mais uma dessa prática chamada de nepotismo, quando o prefeito coloca membros da família em cargos estratégicos e importantes da prefeitura.
 
O prefeito Mizô Alencar resolveu colocar a própria esposa, Marindalva Bento Alencar, na secretaria  de assistência social. A nomeação da mulher do prefeito foi um dos primeiros atos dele ao tomar posse, que aconteceu no dia 1 de janeiro de 2017, mas no dia 2 a esposa já estava nomeada no batente como secretária de assistência social.
 
Se para o prefeito a nomeação estava tudo bem, para o Ministério Público, não. O emprego de Marindalva configura prática de nepotismo, isto é, quando o chefe do executivo emprega a própria família.  O MP diz ainda que Marindalva não tem qualificação técnica para ocupar a pasta, nem experiência comprovada  na administração pública.
 
O prazo dado pelo  MP para o prefeito exonerar  a esposa dele  já está se expirando. A data começou a ser contada a partir do dia 24 de maio. (fonte AF Notícias).
 
 


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento