28/05/2019 às 15h52min - Atualizada em 28/05/2019 às 15h52min

Delegado ganha quase 30 mil reais, mas é considerado “pobre”



A hipossuficiência é um dos requisitos para que uma pessoa seja atendida juridicamente pela Defensoria Pública.
 
No Direito, uma pessoa hipossuficiente é aquela considerada fraca financeiramente, com poucos recursos, desempregada ou sem nenhuma renda. Em síntese, um hipossuficiente é aquele não tem recursos suficientes para o próprio sustento.
 
Mas, no Tocantins, essa hipossuficiência pode ir além do que se imagina. Um delegado de polícia, que ganha quase 30 mil reais recorreu à Defensoria Pública para receber atendimento jurídico. E o pior é que a Defensoria o atendeu.
 
O delegado Rossilio Sousa Correia, que é concursado desde 2009, recebeu no mês de abril quase 30 mil reais de remuneração bruta. Esse valor equivale a mais de 2 anos e meio de pagamento de uma pessoa que sobrevive de um salário mínimo e que é considerada hipossuficiente.
 
A OAB Tocantins solicitou à Defensoria esclarecimentos sobre o estranho  atendimento ao delegado. Para a OAB esse tipo de atitude da Defensoria tira a oportunidade da instituição em socorrer pessoas pobres e necessitadas que realmente precisam de atendimento jurídico no Estado.
 
Além disso, a OAB afirmou que falta transparência à Defensoria Pública com relação aos critérios adotados para atendimento às pessoas carentes. O caso do delegado Rossilio Sousa seria um exemplo disso. ( fonte”AF).
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento