28/05/2019 às 15h00min - Atualizada em 28/05/2019 às 15h00min

Governo realiza primeira colheita do Projeto Campo Sustentável de Brejinho de Nazaré

O Governo do Tocantins realizou  a primeira colheita do projeto “Campo Sustentável”. As máquinas trabalharam em aproximadamente 25 hectares de terra da Fazenda Kehrle, zona rural de Brejinho de Nazaré, colhendo lavoura de sorgo para silagem que alimentará os animais durante o processo de integração proposto para a redução do desmatamento. O sorgo juntamente com mudas de caju, baru, ipê amarelo e roxo, foram plantados na penúltima semana de janeiro e recebem acompanhamento da equipe do projeto Campo Sustentável enquanto se desenvolvem.
 
O engenheiro florestal e coordenador do projeto Campo Sustentável, Clebson Lima, explicou que no plantio, as mudas das espécies arbóreas foram plantadas em linha com a distância de 24 metros entre elas, e que neste espaço restante foi plantada a primeira lavoura de sorgo, que servirá de alimento para o rebanho. Esse processo se repetirá até que as mudas alcançarem o tamanho indicado para dividirem espaço com o gado sem prejuízo.

“Como utilizamos o mesmo espaço, as mudas de caju, baru e ipê plantados em linha facilita a passagem dos caminhões durante a colheita do sorgo, sem afetar as espécies. Com o passar dos anos, que estimamos em cinco e seis anos aproximadamente, acreditamos que essas árvores tenham atingido um poste ideal que as permita dividir o pasto com o gado sem danificá-las, concluindo assim o processo de integração proposto pelo projeto”, explicou Clebson Lima.
 
Sustentabilidade
 
Segundo os proprietários da Fazenda, Aline Kehrle e Marcos Spinella, até então a produção da propriedade era direcionada para o gado de corte, e a ideia de ter na mesma área a cultura de lavoura e a implantação de floresta, agregada a preservação do solo, impactaram na decisão de aderirem ao projeto junto à gestora da proposta que é a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), logo que a fazenda também possui um viés ecológico e sustentável.
 
“Sem dúvida a integração de lavoura, pecuária e floresta aumenta e diversifica a nossa produção em metros quadrado, o que é muito bom para a fazenda, pois teremos várias árvores que vão ajudar no sequestro de carbono e a segurar o solo, além de proporcionar sombra para o gado que melhora a sua produção, disse Marcos Spinella. (Governo do Tocantins).
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento