27/04/2019 às 11h36min - Atualizada em 27/04/2019 às 11h36min

Coral da Defensoria Pública inicia projeto de musicoterapia no HGP

Tecnicamente, definem a musicoterapia como o “conjunto de técnicas baseadas na música e empregadas no tratamento de problemas somáticos, psíquicos ou psicossomáticos”. Entretanto, fugindo à frigidez das descrições acadêmicas, ela é a oportunidade de trazer, através da arte expressa em canções, bem-estar e qualidade de vida às pessoas. E é justamente neste ponto que se apega a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO), que por meio do Coral Canto Nobre passa a colaborar com o Projeto de Musicoterapia do Hospital Geral de Palmas (HGP).
 
A partir da integração do Canto Nobre no Projeto de Musicoterapia, os pacientes, acompanhantes de enfermos e as pessoas que se encontrem na unidade hospitalar poderão contemplar apresentações musicais toda a última sexta-feira de cada mês, sempre das 16 às 17 horas. A estreia desta parceria inicia nesta sexta-feira, 26, e, segundo o diretor da regional Palmas da DPE-TO, defensor público Leonardo Coelho, ela vai ao encontro da missão da Instituição de humanizar todo atendimento oferecido à população.
 
“A Defensoria Pública se sente honrada pelo convite do Hospital Geral de Palmas para que nosso Coral Canto Nobre integre as atividades de humanização daquela unidade de saúde. A musicalidade, certamente, será um bálsamo para o coração daqueles que se encontram enfermos”, enalteceu o defensor público.
 
Regente do Coral da Defensoria Pública, Anderson Cleyton da Silva Menezes acredita que a quebra da dura rotina hospitalar com apresentações musicais pode fazer bem ao astral dos usuários do HGP e, por consequência, provocar a melhoria dos pacientes por lá internados.
 
“A pessoa hospitalizada está doente, em um ambiente pesado, com um cotidiano que envolve exames e remédios; e com as apresentações a gente vai quebrar esta rotina. Então, quando o Coral chegar levando boas músicas e um astral mais alegre, sorrisos vão brotar e isto vai provocar a melhoria do emocional do público. Acredito que desta forma a gente terminará entregando para os profissionais da saúde pacientes com melhor autoestima, mais suscetíveis a responder bem aos tratamentos”, afirma o servidor da Defensoria, que, atualmente, rege 15 integrantes no Canto Nobre.
 
Repertório
 
De acordo com Cleyton Silva, o repertório do Canto Nobre é composto por canções populares que focam em mensagens de superação e de motivação, que estimulam a boa convivência e que fazem referências aos direitos de todos.
 
“A gente leva alegria a quem precisa, o que também é um trabalho da Defensoria. Por isto, a cada apresentação a preocupação é com a mensagem que vamos levar e com o ambiente que vamos deixar, porque ele deve ficar sempre melhor do que aquele que encontramos quando chegamos; mais leve. E o repertório do Coral ajuda muito com isto, tanto que é comum a gente notar pessoas que começam assistindo mais quietinhas e que logo depois já estão cantando junto, dançando. E são momentos assim que tornam tudo isto muito especial”, ressaltou o regente do Coral Canto Nobre.
 
Proposta do projeto
 
Segundo o Setor de Humanização do HGP, responsável pelo projeto, a intenção da oferta da Musicoterapia é tê-la como “alternativa de tratamento por meio da música e seus elementos para proporcionar aos pacientes sensações de relaxamento, bem-estar e, ainda, a recuperação, reabilitação e promoção da saúde”. Além disso, também conforme o Setor, as apresentações vão possibilitar o acolhimento dos usuários “em um ambiente hospitalar mais aconchegante, com momentos de integração e entretenimento para acompanhantes, familiares e profissionais de saúde”. (Defensoria Pública do Estado do  Tocantins DPE-TO)
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento