26/10/2019 às 10h38min - Atualizada em 26/10/2019 às 10h38min

Vendedor ambulante disse que está preparado para disputar vaga de vereador

Alberto Rocha - Alberto Rocha


Alberto Rocha
 
Desde pequeno, a vida para ele sempre foi de desafio. Aos 39 anos, o vendedor ambulante Enoque Celeste, natural de Xambioá, mas morando em Araguaína desde criança, decidiu que quer mudar de vida. Vai trocar a vida de camelô pela de vereador de Araguaína, cujo salário vai chegar a 12 mil reais fora as vantagens, como carro alugado e verba de gabinete.
 
Enoque disse que quer ser vereador para “ter força para tocar os projetos sociais”, entre eles, o Viva Cultura. “Se todo mundo tenta, eu também vou tentar ser vereador”, disse.
 
Enoque é bastante envolvido com a igreja, já foi coroinha e líder de várias pastorais católicas.
 
Após separação, Enoque disse que teve que trabalhar duro para cuidar de três crianças, uma com 9 e a outra com 11 e o caçula de 5 anos de idade.
 
“Consegui vencer com muita luta, e aos poucos, fui me organizando com ajuda de amigos e familiares”, diz.
 
Enoque, de família pobre, disse que já fez de tudo na vida. Começou a trabalhar ainda pequeno como engraxate, depois  vendedor de picolé, ajudante de pedreiro, garçom, atendente de  lanchonete, trabalhou ainda na rodoviária, na antiga  Saneatins, hoje BRK, na prefeitura, e foi até árbitro de futebol.
 
Enoque decidiu ser camelô em 2004  quando pegou 60 reais e virou vendedor ambulante, atividade que exerce até hoje. As filhas criaram o grupo Virtual, dupla que se apresentou em várias programações em Araguaína e região, mas que hoje se apresenta apenas em igrejas. Enoque também é o criador do projeto Viva Cultura e faz parte ainda do projeto Criança Feliz do Araguaína Sul.
 
 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento