24/12/2020 às 15h16min - Atualizada em 24/12/2020 às 15h16min

Reunião discute como será a distribuição e o plano de vacinação contra a Covid-19 no Tocantins


Créditos: G1 Globo
 
O plano de vacinação contra a Covid-19 começou a ser debatido no Tocantins. Nesta quarta-feira (23), representantes de órgãos, entidades e municípios participaram de uma reunião para discutir logística, estruturação das cidades e o tipo de vacina que será disponibilizada.

De acordo com a diretora do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins (COSEMS) Anna Crystina, a previsão é que a vacina comece a ser oferecida na segunda quinzena de janeiro, mas não há nada definido ainda.

A previsão é para janeiro, segunda quinzena de janeiro, mas é uma data que pode mudar. A vacinação, a princípio, seria a CoronaVac, do instituto Butantan, instituto brasileiro. Mas todas essas questões de qual a vacina, o período certinho, vai ser discutido com o Ministério da Saúde. No dia 30 de dezembro, ainda esse ano, terá uma nova reunião, e possivelmente terá uma perspectiva de data", disse ela.

Essa foi a primeira reunião de construção do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 no Tocantins, envolvendo os 139 municípios.

"A discussão se deu muito a partir da logística, da estruturação que os municípios precisarão dispor para fazer essa vacinação dentro de cada território. Qual é o tipo de vacina, a perspectiva de como vai ser a capacitação das pessoas responsáveis pela sala de vacina, toda condição de dispensação de vacinação para os municípios".

A ideia é que, quando o governo federal disponibilizar as doses para todo o Brasil, o estado esteja preparado, com o plano de execução e dando condição para vacinar a comunidade.

A eficácia da vacina CoronaVac no combate ao novo coronavírus é o dado mais aguardado sobre o imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac. O anúncio da taxa estava previsto para esta quarta-feira (23), mas foi adiado pelo governo de São Paulo, que tem acordo para compra de doses que serão envasadas pelo Instituto Butantan.

Na manhã desta quinta-feira (24), o governo de São Paulo recebeu um carregamento que totaliza 5,5 milhões de doses da CoronaVac. De acordo com o Executivo, é a maior remessa do imunizante desembarcada no Brasil. A vacina contra o novo coronavírus, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, concluiu a fase 3 de testes e ainda precisa de aprovação Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
(Fonte: G1 Tocantins).

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento