06/08/2020 às 08h17min - Atualizada em 06/08/2020 às 08h17min

Supremo Tribunal Federal andou a um passo de ser invadido


Créditos: JusBrasil
 
A reunião acontecia no Palácio do Planalto quando o presidente Jair Bolsonaro decidiu que mandaria tropas invadir o Supremo tribunal Federal e destituir os 11 ministros, que seriam substituídos por outros indicados por Bolsonaro.

Mas a ideia não vigorou. O general Augusto Heleno desaconselhou ao presidente Bolsonaro a não levar o plano adiante, pois, nas palavras do militar, “ não era o momento” para a ação que derrubaria o Supremo.

A invasão ao Supremo Federal teria sido decidida no dia 22 de maio, pela manhã, durante reunião de Bolsonaro com ministros do presidente.

Bolsonaro teria decidido invadir o STF depois que o ministro do Supremo, Celso de Melo, ter ameaçado  apreender o celular de Bolsonaro, que não gostou nem um pouco da ideia.

Durante a reunião, Bolsonaro dizia a todo momento: “vou intervir”. Bolsonaro queria mandar tropas para o Supremo porque os magistrados, na opinião dele, estavam passando dos limites em suas decisões e achincalhando sua autoridade. 

O general Heleno Ramos desaconselhou o presidente ao dizer: “ Não é o momento para isso”.

A informação  foi dada pela revista A piauí, que contou detalhes da reunião, mantendo as fontes em anonimato.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento