18/10/2019 às 10h35min - Atualizada em 18/10/2019 às 10h35min

Médicos do Tocantins celebram data e destacam o amor pela profissão: “ser médico é uma bela missão, não um sacrifício

ascom - ascom


 
Vocação e entrega são determinantes para quem salva vidas todos os dias. No Tocantins, o dia do médico é celebrado com amor e orgulho pelos profissionais que atuam em colaboração com a holding Americas Health. São médicos que acumulam, juntos, muitas histórias de alegria, superação e dezenas de anos de experiência no ofício desta bela profissão. A data de 18 de outubro está relacionada ao Dia de São Lucas, o santo padroeiro da Medicina, uma das áreas do conhecimento que exigem grande comprometimento e responsabilidade por parte do profissional.
 
Atuando há 32 anos como médica pediatra e neonatologista, Neide Brito já nem consegue contabilizar quantas milhares de vidas ajudou a salvar. “É muito gratificante quando a gente escolhe fazer medicina com o propósito de salvar vidas. Este é um propósito com Deus, o propósito de servir o próximo, aliviando sua dor”, afirma.
 
A médica, que já há alguns anos atua na UTI Neonatal Intensicare, no Hospital e Maternidade Dona Regina, em Palmas, revela que a profissão sempre foi seu sonho de infância. “Absolutamente eu não saberia fazer outra coisa na vida a não ser a medicina. Ser médica era o meu sonho de criança. Preparei minha mente e minha vida para isso. Enquanto eu puder ser útil eu quero ajudar o próximo paciente, a próxima família”, planeja.
 
Neste dia 18 de outubro, a neonatologista destaca que o essencial na profissão é ouvir o paciente. “É um ensinamento que considero fundamental. Em 32 anos de profissão foram milhares de vidas salvas, ocorreram algumas perdas também, tudo isso nos marca muito e nos faz lembrar que não podemos perder nunca a nossa humildade, a ética e a busca pelo nosso melhor”, pontua Neide.
 
Fazer a diferença no mundo
 
Comemorando 20 anos de atuação como médico, o neurocirurgião Márcio Figueiredo, coordenador do Núcleo de Neurologia e Neurocirurgia do Hospital IOP, em Palmas, revela que sempre sentiu muito amor pela profissão e alerta que para atuar na área é preciso ter, antes de tudo, vocação. “Só a vocação explica que fazemos nosso trabalho não por dinheiro ou qualquer outra razão a não ser a recompensa de salvar uma vida, de ver que você fez a diferença nas vidas de quem ajudou. Para os que estão começando agora na profissão meu conselho é: faça tudo com amor, busque sempre aprender mais, melhorar como pessoa e como profissional, aproveite os benefícios que a tecnologia traz para nos ajudar a salvar cada vez mais vidas e sempre valorize a equipe, seus colegas de profissão, porque ninguém faz nada sozinho”, diz o neurocirurgião.
 
“Ser médico é uma missão, não um sacrifício”
 
O médico neonatologista da UTI Neo Intensicare do HMDR, Ricardo Cardoso Guimarães, conta o quanto é gratificante ver os pequenos pacientes seguirem com suas vidas após deixarem a Unidade de Terapia Intensiva.
“Já estou há 15 anos atuando como médico e é muito bom ver os bebês que ajudamos nos primeiros dias após o nascimento, já recuperados, crescendo. Nossas famílias são preparadas para entender essa nossa entrega e dedicação ao ofício da medicina”, explica.
 
O médico aproveita este dia 18 de outubro para deixar um recado aos profissionais que começam agora na medicina. “A quem está começando agora um curso de medicina ou uma residência médica, que apenas tenha certeza se essa é sua vocação, sua missão de vida. Se for, então tudo será mais leve, tudo valerá a pena”, finaliza Ricardo.
( Assessoria).
 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento