10/10/2019 às 16h17min - Atualizada em 10/10/2019 às 16h17min

Secretário que vai administrar R$ 395,4 milhões em obras é o novo braço direito da prefeita


foto de internet  -                         Prefeita de Palmas, Cinthia e Roberto Pires, presidente da Fieto
 
Com o chamado núcleo de Brasília fora da administração, dois empresários alcançaram status de co-gestores de Cinthia Ribeiro na Prefeitura de Palmas. Roberto Pires, que preside a Fieto (Federação da Indústria do Estado do Tocantins), e Antônio Trabulsi Sobrinho, atual secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos da Capital, são hoje os principais conselheiros da prefeita, que herdou o cargo de Carlos Amastha em abril do ano passado.
 
Pires e Trabulsi são considerados hoje “os homens” da gestão pela ascendência e poder de persuasão e convencimento sobre a prefeita. Cinthia Ribeiro, com apenas um ano e seis meses de mandato, atende as orientações de ambos praticamente sem questionar.
 
Com maior prestígio, Roberto Pires tem acesso livre ao gabinete no 8º andar do prédio da JK. Reeleito presidente da Fieto, Roberto Pires é filho de Luiz Pereira Martins Pires, sócio do grupo Umuarama.
 
Entre as indicações de Pires está a de Milla Jabes; ela faz parte do restrito grupo de assessores mais próximos da prefeita; nomeada em julho, Milla jã conseguiu emplacar o marido como secretário executivo da Prefeitura, na  Secretaria de Desenvolvimento Rural de Palmas, seder.
 
Assim que Cinthia assumiu o cargo após a renúncia de Amastha, Pires, que é compadre da prefeita, chegou a dar conselhos e orientações esporadicamente à gestora.  Entretanto, passou a receber frequentes pedidos de ajuda da prefeita, sem contar com o domínio da gestão pública. Até que em julho de 2018, ele emplacou na administração Antônio Trabulsi. O engenheiro civil e empresário foi indicação de Pires e aceita prontamente por Cinthia Ribeiro.
 
Dentro da administração, Trabulsi é hoje o braço direito de Cinthia Ribeiro. Dono de duas construtoras com sede em Palmas, uma delas com capital social de R$ 300 mil, ele administra um orçamento anual de R$ 160,4 milhões na Secretaria da Infraestrutura. E também será dele a responsabilidade pela execução das prometidas obras do Desenvolvimento da América Latina/CAF, com previsão de US$ 60,87 milhões (cerca de R$ 235 milhões), mas que ainda não saíram do papel.
 
Sua posição na gestão ultrapassa o campo das obras e serviços públicos. Além de conselheiro político, recebe vereadores, discute demandas com empresários e ultimamente tem até mesmo buscado aproximação com jornalistas, meios de comunicação e profissionais de marketing, uma vez que a Secom está sem titular desde o final de setembro. Recentemente, acompanhou a prefeita em viagem a Brasília, com agenda restrita apenas a assuntos políticos.

O grupo
 

Amigos muito próximos, Pires e Trabulsi substituem hoje a ascendência a Cinthia que era vista apenas pelo chamado “núcleo de Brasília”, ou seja, quatro gestores que a prefeita trouxe da Capital federal para integrar seu primeiro escalão: os hoje ex-secretários de Finanças, Guilherme Ferreira; de Assuntos Estratégicos, Captação de Recursos e Energias Sustentáveis, César Guimarães; da Comunicação, Deboráh Miranda Lobo; e a ex-presidente da Agência de Regulação de Palmas, a advogada Juliana Nonaka. Todos já deixaram o Executivo municipal.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento