10/11/2022 às 16h42min - Atualizada em 10/11/2022 às 16h42min

Dia D de Enfrentamento da Hanseníase: Secretarias de Saúde do Tocantins realizam ações nos municípios

  
Foto: da assessoria
As 139 Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins realizam nesta quinta-feira, 10, ações de enfrentamento à hanseníase. O dia 10 de novembro de 2022, ficou estabelecido como “Dia D de Conscientização, prevenção e enfrentamento da hanseníase no Tocantins”. O movimento faz parte de uma mobilização organizada pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Tocantins (COSEMS-TO), com apoio do Centro de Apoio Operacional da Saúde (CaoSAÚDE) do Ministério Público do Estado (MPE-TO), da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO) e do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan). A campanha, que teve adesão de todos os municípios tocantinenses, tem como tema central o lema “Quem Trata, Cura!” e tem o objetivo de chamar a atenção dos cidadãos e cidadãs tocantinenses para a doença, que tem tratamento e cura. “O Estado do Tocantins é considerado hiperendêmico, conforme os parâmetros do Ministério da Saúde. Já tivemos reuniões com municípios considerados silenciosos, promovemos ações de conscientização juntos às Gestões e agora estamos promovendo o Dia D para chamar ainda mais atenção sobre o tema. Precisamos divulgar cada vez mais que o tratamento da hanseníase é realizado nos serviços de saúde das redes municipais, gratuitamente, de forma simples e eficaz, sem necessidade de internação. Mas o diagnóstico precisa ser precoce para minimizar os riscos de sequelas”, afirmou o Presidente do COSEMS-TO Rondinelly Souza. A doença A hanseníase é uma das doenças mais antigas da humanidade, com relatos de casos desde 600 a.C. Apesar de antiga, ela ainda é um grave problema de saúde pública, especialmente no Brasil, que concentra o segundo maior número de novos casos do mundo, atrás apenas da Índia. A hanseníase é causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae, que afeta principalmente nervos periféricos e a pele. As complicações da doença podem levar a incapacidades físicas, principalmente nas mãos, pés e nos olhos. Os sinais mais frequentes incluem dormência, formigamento e diminuição na força física das mãos, pés ou pálpebras, além de manchas brancas ou avermelhadas com diminuição ou perda da sensação de calor, de dor ou do tato. Em caso de qualquer sintoma é importante que a pessoa busque a unidade de saúde mais próxima de sua casa. Dados no Tocantins De acordo com a SES-TO o Tocantins ocupa o 2º lugar nacional no ranking brasileiro de Estados com maior número de notificados com hanseníase. Em 2021 foram registrados 765 novos casos e até o início de novembro, conforme o Portal Integra Saúde, 566 já foram contabilizados. “Precisamos fomentar ações como estas nos municípios para que os trabalhadores da saúde e pacientes estejam muito bem orientados sobre prevenção, tratamento e cura da doença. É sempre bom lembrar que pacientes que estão em tratamento não transmitem a enfermidade. Além de quebrar a cadeia de transmissão, também é urgente o combate ao estigma e o preconceito”, declarou o Diretor do COSEMS-TO Amilton Pereira Lopes.  ( Assessoriia).
 


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Portal O Tocantins Publicidade 1200x90
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento