23/04/2022 às 09h04min - Atualizada em 23/04/2022 às 09h04min

Pelo menos 200 indígenas estão sem acesso à educação no Tocantins por falta de escola e transporte


Créditos: G1 Tocantins
 
Pelo menos 200 estudantes indígenas estão longe das salas de aula no interior do Tocantins por falta de escola e transporte escolar. A situação vem afetando aldeias da etnia Krahô em Goiatins e do povo Apinajé em Tocantinópolis, no norte do estado.

O cacique conta que já procurou a Secretaria de Estado da Educação, responsável pelo ensino nas aldeias, mas que a resposta que recebeu é de que não tem como construir uma escola na reserva por falta de acesso. "Eles alega que falta de estrada né. Que falta de estrada e ainda não tá por aqui. Não quer que vem pra construir [sic]”, disse o cacique Oliveira Kenkrat Krahô.

Na aldeia vizinha ainda restam ruínas do que era o prédio da escola. Os alunos não têm como ir até Goiatins, que fica a 80 quilômetros para estudar porque as estradas de terra se transformam em atoleiros com a chuva. As pontes estão em péssimas condições e ainda há travessias de barco.
 
Não são apenas os Krahôs que enfrentam problemas para educar as crianças. Em Tocantinópolis, na região do Bico do Papagaio, os indígenas Apinajé estão sem aula desde o começo do ano. Os ônibus deixaram de circular por conta da situação das estradas e outros 100 alunos estão sem aula.

O que diz a Secretaria de Educação

A Secretaria de Educação (Seduc) informou, em nota, que realizou o repasse de recursos para a Associação de Apóio às Escola Indígenas, formada por um consórcio de unidades de ensino da região, para adequação da unidade de ensino de pequeno porte, Escola Indígena Nova, da Aldeia Nova, em Goiatins. "Já nos próximos dias a obra será iniciada", afirmou.
 
Sobre as estradas o governo do Tocantins informou que está em andamento um processo licitatório para obras de pavimentação. (G1 Tocantins).

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento