18/04/2022 às 08h02min - Atualizada em 18/04/2022 às 08h02min

Serviço de Captação de Múltiplos Órgãos do Tocantins completa quatro anos e celebra a data com nova doação


Foto: Divulgação
 
Na última sexta-feira, 15 de abril, data celebrativa, do maior ato amor ao próximo, uma família disse sim para a vida e autorizou a doação de órgãos de um ente querido no Hospital Geral de Palmas (HGP). Há exatamente quatros anos, também em uma 'Sexta-feira Santa', o Serviço de Captação de Múltiplos Órgãos no Tocantins fazia sua primeira coleta. 
 
Esta é a terceira captação de múltiplos órgãos, realizada no HGP, neste mês de abril. Um doador de 35 anos que estava internado na unidade proporcionou a doação de coração,  que foi enviado para Brasília, dos dois rins e o fígado que foram para São Paulo.
 
O aumento das ações de captações no Estado acontece graças ao serviço de busca ativa, nos hospitais privados, da Organização de Procura de Órgãos (OPO) ligada à Central Estadual de Transplante do Tocantins (CETTO), como explicou a enfermeira e coordenadora da Central, Marília Batista Ribeiro. “Este ano já conseguimos realizar quatro captações, esta de hoje, uma em Araguaína no Hospital Regional e outras duas em hospitais privados de Palmas, que foram identificadas pela OPO e encaminhados ao HGP, unidade habilitada para o serviço”.
 
Para o diretor-geral do HGP, Leonardo Toledo, esse momento consolida o trabalho da unidade, “ver a alegria e entusiasmo de toda a equipe quando realiza um trabalho, não importando a hora ou o cansaço e, saber que este serviço se consolidou, é uma satisfação. Estamos podendo tirar muitas vidas da fila de espera por um transplante”, celebrou.
 
Histórico
 
Em 2018, o Tocantins iniciou o processo de captação de múltiplos órgãos e até o momento o Estado conseguiu a doação total de oito corações, 26 rins, 13 fígados e 27 córneas.
 
Segundo a superintendente de Política de Atenção à Saúde, Juliana Veloso, “o Estado vem trabalhando desde 2016 com a captação e transplantes de córneas. Temos estruturado o Banco de Olhos do Tocantins (Boto) que funciona dentro do HGP e já realiza o transplante de córneas e agora estamos com processo para viabilizar o transplante de rins”, afirmou.
 
Processo de doação
 
O enfermeiro e integrante da Comissão Intra-hospitalar para a Doação de Órgãos e Tecidos para transplantes do HGP, Vinícius Gonçalves Boaventura, explica o processo de doação. “Quando um paciente evolui para o quadro clínico de morte encefálica, entramos em contato com a família para verificar se existe o interesse em realizar a doação dos órgãos. Se a família aceitar, inicia-se o processo de validação do doador, no qual são realizados inúmeros exames e é acionado a Central Nacional de Transplantes, que providencia a logística de transporte da equipe de captação e aciona os Estados que receberão os órgãos dentro de um ranking nacional”.
 
Mesmo que os órgãos captados no Tocantins sejam destinados para pacientes de outras localidades, os tocantinenses são beneficiados no processo. “A realização da coleta no Estado, favorece diretamente os pacientes aqui do Estado, porque a cada paciente transplantado é uma vida salva e um a menos na fila de espera nacional”, explicou a coordenadora da CETTO, Marília Ribeiro.
 
“Para que o processo seja mais rápido necessitamos de mais doadores, precisamos falar mais sobre o transplante de órgãos com os familiares, ainda em vida. Se a pessoa tem essa vontade e deixou claro para os familiares, com certeza ela será concretizada”, complementa a coordenadora. (Secom TO)

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento