29/05/2019 às 09h09min - Atualizada em 29/05/2019 às 09h09min

Valderez destaca Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e de Redução da Mortalidade Materna


foto: Ulisses Holanda

A deputada estadual Valderez Castelo Branco (Progressistas) realizou um pronunciamento no Plenário da Assembleia Legislativa (AL-TO), sobre o dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna. Em sua fala, a parlamentar destacou que as mulheres são maioria no Brasil, representando mais 51% da população.
 
Valderez também falou sobre a importância de garantir assistência para elas em todas as fases da vida, principalmente na gestação e no puerpério, com o objetivo de reduzir as taxas de mortalidade materna. “Sabemos que morte materna é o óbito da mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término dela. O trabalho em rede, unindo a atenção básica aos hospitais, com o retorno da mulher no puerpério é fundamental. Por isso é preciso acolhê-las com segurança e apoio”, disse.
 
De acordo com informações do Ministério da Saúde, por meio da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a mortalidade materna é causada por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela. Entre as mortes maternas em 115 países, os casos se distribuem da seguinte forma: hemorragia grave: 27%; hipertensão na gestação: 14%; infecções: 11%; parto obstruído e outras causas diretas: 9%; complicações de abortos: 8%; coágulos sanguíneos: 3%.
“Coloco-me à disposição para continuar trabalhando nesta Casa de Leis para reduzir cada vez mais a Mortalidade Materna”, reforçou a deputada durante o pronunciamento na Tribuna da AL-TO.
 
Trabalho parlamentar
 
Ainda durante seu discurso, Valderez citou o trabalho realizado pelas famílias tocantinenses, em especial às mães. Ela citou algumas das propostas e Leis vigentes que são de sua autoria. “Apresentei o Projeto que equipara mães adotivas e biológicas na prorrogação da licença maternidade. Também já tramita nesta Casa o Projeto de Lei nº 03/2019, do Governo do Estado e idealizado por mim desde o meu primeiro mandato que trata da realização obrigatória do teste do coraçãozinho em recém-nascidos”, declarou.
 
Também é de autoria da parlamentar o Projeto que prevê que o tempo em que recém-nascidos estiverem na UTI Neonatal não seja contabilizado na licença maternidade. “A obrigatoriedade do Teste do Olhinho garantida em Lei também é de nossa autoria. O exame é conhecido como Teste do Reflexo Vermelho. Ele serve para diagnosticar precocemente doenças de visão no bebê, como catarata congênita, tumor, glaucoma Também garantimos em Lei, que doadoras de Leite sejam isentas de pagar taxas de concursos públicos Estaduais”, completou.
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento