28/07/2021 às 08h28min - Atualizada em 28/07/2021 às 08h28min

Com obras paradas, Município pobre no norte do Tocantins pode perder mais de 6 milhões de reais


Foto: Divulgação
 
Enquanto a maioria dos municípios brasileiros  corre atrás de recursos para sobreviver, um dos municípios mais pobres do Estado, Filadélfia, norte do Estado,  que vive  basicamente  do socorro vindo do Fundo de Participação dos Municípios, o FPM,  corre o risco de perder mais de 6 milhões de reais, tudo porque obras importantes de pavimentação e drenagem estão paradas há quase  7 meses.

Em Filadélfia, a impressão que se tem é que o dinheiro público não é levado a sério, e o dinheiro parece corre para o lixo com facilidade. 

A cidade, que é conhecida como o cemitério de obras, está cheia de prédios construídos pela metade e abandonados no meio do mato, como escola, prefeitura e casas populares. Tudo isso a céu aberto, à luz do dia, no centro da cidade, um verdadeiro desrespeito com o dinheiro do povo.

Só o ex-deputado federal Lázaro Botelho destinou para Filadélfia mais de 12 milhões de reais, recursos de emendas destinados para obras de pavimentação, drenagem, dentre outros serviços. Parte desse dinheiro já foi utilizado pelo Município, mas até agora as obras não foram concluídas e parecem paradas no tempo.

Entre as obras paradas, está a pavimentação e drenagem de avenidas, recursos do Governo Federal, Sudam - Superintendência Desenvolvimento Amazônia. O ex-gestor deixou cerca de 40% das obras concluídas. Agora, parte do dinheiro, cerca de 6 milhões de reais podem voltar para os cofres do governo federal, caso a

Prefeitura não reinicie as obras. É que, pelo convênio, esse recurso tem data para ser aplicado, caso contrário, Filadélfia pode perder tudo de uma hora para outra. 

Entre as ruas beneficiadas, estão as avenidas Prefeito Wilson Castro Otaviano de Brito e transversais.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento