05/05/2021 às 13h55min - Atualizada em 05/05/2021 às 13h55min

Vacina contra influenza tem baixa procura em Araguaína


Foto: Divulgação
 
Somente 1.734 das quase 30 mil doses recebidas para imunização contra a influenza foram aplicadas até o momento, em Araguaína. Seguindo o calendário nacional, a campanha iniciou em 12 de abril e será finalizada em 9 de julho. Também conhecida como gripe, a doença é uma infecção viral aguda que afeta o aparelho respiratório e é de alta transmissibilidade.

A diretora municipal da Imunização, Samilla Braga, alerta que a vacina contra gripe é capaz de reduzir os casos graves, as internações e os óbitos decorrentes da infecção respiratória. “Em tempos de uma crise pandêmica, como ocorre atualmente com a covid-19, uma campanha como a de prevenção contra a gripe não só diminui a incidência de casos de influenza, como também facilita no diagnóstico preciso para o coronavírus”.
 
Onde receber?

A vacina está disponível nas UBS (unidades básicas de saúde) das 7h30 às 11h13 e das 13h30 às 17h30, com exceção das três que são referência contra covid-19: Dr. Raimundo Gomes Marinho (Setor Maracanã), Albeny Soares (Setor Couto) e José de Sousa Rezende (Setor Alto Bonito). 
 
Quem pode tomar?

O público-alvo atual é formado por crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde. As únicas contraindicações são os casos de anafilaxia anterior à vacinação, alergia a componentes da vacina e quem recebeu a vacina contra covid-19 deve respeitar um intervalo de 14 dias.
 
“Muitos profissionais da saúde estão aguardando tomar a 2ª dose contra covid-19 em maio, para depois tomar contra a influenza. Já crianças, gestantes e puérperas de 45 dias após o parto devem comparecer o mais rápido possível nas unidades básicas para serem imunizadas”, afirmou Samilla.
 
Dados

Das pessoas vacinadas até o momento, 734 são trabalhadores da saúde, 638 são gestantes, 309 são crianças e 53 são puérperas. Esse primeiro grupo é formado por quase 25 mil pessoas. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários, que somam ao todo mais de 58 mil pessoas.
 
Próximas etapas

A vacinação será realizada em três etapas para evitar aglomerações nas UBS (unidades básicas de saúde). Após o primeiro grupo, a segunda etapa imunizará pessoas com 60 anos ou mais e professores.
 
A terceira etapa irá vacinar portadores de comorbidades, população privada de liberdades em medidas socioeducativas, funcionários do sistema de privação de liberdade, pessoas com deficiência, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento e forças armadas.
(ASCOM).

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento