26/04/2021 às 13h40min - Atualizada em 26/04/2021 às 13h40min

Tocantins recebe doses de vacina contra difteria, tétano, coqueluche e poliomielite


Foto: Divulgação
 
O Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) do Tocantins recebeu doses da vacina Penta acelular (Vacina adsorvida difteria, tétano, pertussis acelular, VIP (inativada) e Haemophilus influenzae tipo b (conjugada)) e a vacina Hexa acelular (Vacina adsorvida difteria, tétano, pertussis acelular, VIP (inativada), Haemophilus influenzae tipo b (conjugada) e a Hepatite B (recombinante)). Os imunizantes foram enviados pelo Ministério da Saúde (MS), seguindo o Programa Nacional de Imunizações (PNI).

As vacinas Penta acelular e a Hexa acelular protegem contra a difteria, tétano, coqueluche, poliomielite e doenças causadas por Haemophilus influenzae tipo b, e, são indicadas para imunização ativa de crianças a partir de dois meses de idade até menores de sete anos. A vacina Hexa acelular protege ainda contra a hepatite B.

A vacinação básica nos CRIEs consiste na aplicação de três doses, com intervalo de 60 dias (mínimo de 30 dias), a partir de dois meses de idade. As vacinas combinadas contêm um número maior de antígenos capazes de estimular a resposta imunológica contra mais de um agente infeccioso, vírus ou bactéria. As doses Penta acelular (DTPa/Hib/VIP) ou Hexa acelular (DTPa/HiB/VIP/HB) podem ser administradas com segurança e ao mesmo tempo com todas as vacinas do PNI.

As doses disponibilizadas seguem indicações:

1.  Após eventos adversos graves relatados abaixo e ocorridos com a aplicação da vacina adsorvida difteria, tétano e pertussis de células inteiras (DTP) ou com a vacina adsorvida difteria, tétano, pertussis de células inteiras, hepatite B e Haemophilus influenzae tipo B (Penta de células inteiras):
Convulsão febril ou afebril nas primeiras 72 horas após a vacinação; síndrome hipotônico-hiporresponsiva nas primeiras 48 horas após a vacinação.

2.  Para crianças que apresentem risco aumentado de desenvolvimento de eventos graves à vacina adsorvida difteria, tétano e pertussis (DTP) ou à vacina adsorvida difteria, tétano, pertússis, hepatite B e Haemophilus influenzae tipo b (Penta de células inteiras):
Doença convulsiva crônica; cardiopatias ou pneumopatias crônicas com risco de descompensação em vigência de febre; doenças neurológicas crônicas incapacitantes; recém-nascido (RN) que permaneça internado na unidade neonatal por ocasião da idade de vacinação; RN prematuro extremo (menor de 1.000 g ou 31 semanas de gestação).

3.  Preferencialmente, nas seguintes situações de imunodepressão:
Pacientes com neoplasias e/ou que necessitem de quimioterapia, radioterapia ou corticoterapia; pacientes com doenças imunomediadas que necessitem de quimioterapia, corticoterapia ou imunoterapia; transplantados de órgãos sólidos e células-tronco hematopoiéticas (TMO).
(Governo do Tocantins).

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento