01/03/2021 às 07h33min - Atualizada em 01/03/2021 às 07h33min

Decretos “faz de conta” enganam a consciência coletiva, mas não combatem coronavírus


Foto: Ilustração


Artigo de Opinião - Alberto Rocha
 

Fecharam as portas depois que roubaram a casa. 
 
O coronavírus, que chegou no início de março de 2020, apavorou o mundo e matou milhares de vidas indefesas. Lockdown, distanciamento, uso de máscara, álcool em gel e decretos inúteis, entre outros, não resolveram nada. 
 
A “cara de pau” de muitos políticos durante o período eleitoral beirou o absurdo, quando todas as medidas de segurança de combate ao coronavírus foram rasgadas e jogadas no cesto de lixo. Passadas as eleições, o vírus aparece com mais sede e fome de matar. 
 
De quem é a culpa?  É do povo irresponsável, que seguiu nos arrastões à caça de voto sem nenhuma proteção. De quem é a culpa? É do povo sem educação e desprovido de solidariedade; De quem é a culpa? É do povo, gente teimosa, metida à besta, que faz papel de dublê de rico, que não pode ficar um dia sem ir a uma balada e sem beber cachaça; De quem é a culpa? É do povo, que vai morrer à míngua entubado num hospital público. 
 
De quem é a culpa? É de Decretos inúteis, “faz de conta”, que só  enganam o povo e que só servem para lavar as mãos de prefeitos corruptos, que choram, não pelos mortos, mas pelo dinheiro que podem ganhar. 
 
Enquanto prefeitos baixam decretos inúteis, ineficientes, hipócritas, os irresponsáveis seguem na farra à vista de todos, em bares, festas, clubes, chácaras, e ninguém, mas ninguém fiscaliza. 
 
Onde estão os órgãos responsáveis pela fiscalização? Ninguém atende, fecham os olhos, fingem que fiscalizam, enganam...
 
O covid-19 agradece.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento