16/12/2020 às 07h52min - Atualizada em 16/12/2020 às 07h52min

Polícia Civil juntamente com a Gaeco cumprem 14 mandados de prisão contra quadrilha suspeita de tráfico interestadual


Foto: Polícia Civil/Divulgação
 
A Polícia Civil e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) estão cumprindo 14 mandados de prisão e 10 ordens de busca apreensão em cidades do Tocantins e São Paulo, nesta quarta-feira (16). A investigação tem como alvo uma organização criminosa responsável pelo tráfico interestadual de drogas e foi chamada de Operação Feynman.

Além dos mandados, a Justiça também determinou o bloqueio de 14 contas bancárias utilizadas pela organização criminosa para lavagem de dinheiro.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (ssp), a operação Feynman decorre de investigações realizadas em setembro deste ano pela 1ª Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos (1ª Denarc de Palmas) durante a operação Nexum Carcerem.

Naquela ocasião foram apreendidos mais de R$ 100 mil em drogas remetidas do estado de São Paulo para o Tocantins, além da prisão de dois suspeitos e a apreensão de um adolescente. Também tinham sido encontrados mais de 45 kg de maconha, assim como cocaína e crack.

Ainda segundo a polícia, a parceria firmada com o Gaeco permitiu identificar toda a organização criminosa e os núcleos de associados que faziam as remessas de drogas de São Paulo para o Tocantins, além do próprio esquema de lavagem de dinheiro.

A polícia não divulgou as cidades em que os mandados estão sendo cumpridos.

Coordenada pela Denarc e Gaeco, a operação Feynman contou com o apoio da Rotam da Polícia Militar do Tocantins, do Grupo Operacional Tático Especial (GOTE), da Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (DEIC) de Palmas, da DENARC do estado de São Paulo e da Polícia Civil de São Paulo, seccional de Ourinhos.

O nome da operação se refere a um conceito da mecânica quântica, a Formulação de Feynman, de que podem existir uma infinidade de trajetórias para se alcançar determinado destino.
(Fonte: G1 Tocantins).

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento