10/10/2020 às 07h28min - Atualizada em 10/10/2020 às 07h28min

Candidaturas femininas ganham corpo na campanha eleitoral em Araguaína


Foto: Divulgação
 
Pela legislação eleitoral, 30% das candidaturas devem ser preenchidas por mulheres. O objetivo é incentivar a participação feminina na política.

Entre as mulheres que concorrem a uma das 17 vagas na Câmara de Vereadores de Araguaína, está Zilda de Moura, padeira, assistente social, técnica em edificações e pós-graduada em gestão social e políticas públicas.

De origem humilde, Zilda, que sempre lutou pelas causas sociais na sua cidade, resolveu disputar pela primeira vez uma vaga de vereadora. 

Zilda diz que está confiante e segue empenhada, de olho na vaga. Para isso, ela sai cedo  em busca  do voto, além de conscientizar  a população para a necessidade de votar e escolher bem os representantes do povo.

Com relação a projetos, Zilda diz que vai lutar pelas causas sociais e femininas.

Reforço

De acordo o artigo 17 da Resolução TSE nº 23.607/2019, as mulheres candidatas têm, no mínimo, 30% do total do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), também conhecido como Fundo Especial, para ampliar as campanhas eleitorais.
(da assessoria da candidata).

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento