21/09/2020 às 09h17min - Atualizada em 21/09/2020 às 09h17min

Em Palmas, Eli Borges é quem sai ganhando com o “balaio de gatos” e “samba do crioulo doido”


Foto: Divulgação
 
Alberto Rocha - Jornalista

Há coisas que nem Freud (Fróid) explica. Na corrida pela prefeitura de Palmas, acontece o verdadeiro “balaio de gatos” e também o “samba do crioulo doido”. Espera aí que vou contar o bode que está dando nestas eleições na capital.

Pela confusão e quantidade de candidatos a prefeito, fica claro que a capital e maior colégio eleitoral do Tocantins não tem identidade política a exemplo de outras cidades, como Gurupi, Porto Nacional, Araguaína, entre outras.

Ser prefeito da capital é a melhor coisa do mundo, pois a fila de candidatos a prefeito é quilométrica. Tem Ataídes Oliveira, ex- senador do PSDB, mas que já foi derrubado do palanque antes do comício, pela senadora Kátia Abreu. Tem Alan Barbiero (Podemos), que tenta carreira solo.

Para confundir ainda mais, tem o ex-Tiago Andrino, agora Tiago Amastha,  que se juntou a Irajá (PSD), à Kátia (PP), a Vicentinho Junior (PL), que  se lançou candidato a prefeito, que discutiu com publicitário, que já fez campanha do Amastha....Tem Ivory de Lira (PCdoB), que desistiu para apoiar Marcelo Lelis (PV). 

E, por fora ou por dentro, corre Eli Borges (SD), que deve levar vantagem com o apoio do presidente da Assembleia, Toinho Andrade (PTB), do governador Carlesse (DEM) e do vice-governador, Wanderlei Barbosa (PP), irmão de Marilon Barbosa (DEM) que é vice da Cinthia (PSDB), que insiste em continuar sentada na cadeira de prefeita de Palmas.

É muita dúvida e confusão na cabeça do eleitor. A única clareza até agora é que todos serão convidados para a posse do próximo prefeito.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento