25/08/2020 às 08h17min - Atualizada em 25/08/2020 às 08h17min

Pastor sai em defesa da vida e cita casos de estupros ocorridos recentemente no Brasil


Créditos: Convenção Batista 
 
Estou fazendo duas listas. Uma é limitada e tem apenas duas pessoas e as coloco aqui como vítimas; outra é talvez ilimitada pela enorme quantidade de pessoas que podem ser colocadas nela e eu chamo-as de criminosas.

Vítimas são as duas crianças que tem sido alvo das notícias e dos comentários; refiro-me à criança - mãe de 10 anos e a criança-filho(a) de 06 meses. 

Elas são vítimas de uma sociedade desajustada pela modernidade; elas são vítimas de uma família sem o equilíbrio necessário; elas são vítimas de uma imprensa puramente comercial, não importando o preço que vidas tenham que pagar, algumas com a própria vida; elas são vítimas de leis inescrupulosas que não as protege, antes as mata: física e emocionalmente;  elas são vítimas de um liberalismo sem pudor e sem limites.

Culpar a criança -mãe  por qualquer coisa que ela tenha feito ou deixado de fazer, é no mínimo insano; dizer que o ato de abortar foi atendendo a um desejo dela, é transferir pra ela um peso que em nada vai ajudá-la e que não é dela;  A Criança filha, também é vítima de quase tudo que listei sobre sua mãe, com o acréscimo de que, a ela não foi dado o direito de nascer e viver.

A segunda lista é maior e nem me arriscaria limitá-la e nem sei por onde começar... pois a chamo de a lista dos assassinos.  Assassinos por ação, assassinos por omissão; posso iniciar esta lista com o pedófilo, chamado de tio; alguns membros da família que pouco sabemos sobre quem são, como vivem e como cuidavam da criança mãe, talvez assassinos por omissão;
Nesta lista não posso deixar de mencionar o Juiz que se torna assassino por uma decisão, que autoriza  a matar.

A lista segue com o médico e sua equipe, que agora autorizados, decidem matar. Assassino, que contraria sua profissão, que seria salvar vidas; assassinos torcedores, são os que defendem o aborto e lutam por sua legalização,

Assassinos... poderia acrescentar muita gente nesta lista; mas vou parar por aqui, não por falta de opção, mas para pensar que seja quem for ou por qual motivo... Eu defendo a vida e defendo a vida até dos assassinos que mencionei acima. Continuarei defendendo a vida de inocentes, como das duas crianças mãe e criança filha. 

Também defendo que os criminosos paguem pelos seus crimes, cada um proporcional ao seu crime. Sou contra a pena de morte, mas sou a favor, se existisse prisão perpétua, ou no caso da nossa legislação, que se for o caso, cumpra os 30 anos previstos.

Creio que se Jesus tivesse no meu lugar ele defenderia a vida, não importando a idade, o sexo, a cor, as atitudes, o partido político, a religião...Esta é a minha reflexão!

Euzimar Nunes - Primeira Igreja Batista em Araguaína


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento