04/08/2020 às 08h18min - Atualizada em 04/08/2020 às 08h18min

Mais de 27 mil casos de covid-19 no Tocantins, 16 mil infectados só em um mês, 402 mortes até agora. Até onde?



Alberto Rocha
 
Diz o ditado que o pior cego é aquele que não quer ver. Isso bem que poderia valer para explicar o avanço desordenado do coronavírus no Tocantins e nas principais cidades do Estado, como Araguaína, Colinas, Porto Nacional e Palmas, entre outras.

É assustador o aumento de casos de covid-19 no Estado. Os casos da doença estão “pipocando” em todos os 139 Municípios. Até Mateiros, no Jalapão, o único que ainda estava livre do coronavírus, entrou na lista do medo.  

Araguaína e Palmas, as duas maiores cidades do Estado, lideram o ranking  da ameaça. Na sequência, vem Porto Nacional.  Até segunda, 3, o Estado já havia contabilizado mais de 27 mil casos da doença e 402  pessoas já morreram, vítimas do covid-19. E tudo indica que os dados não vão  parar de crescer , pois nota-se uma atitude pálida por parte das autoridades no combate à doença. 

Os culpados

Não restam dúvidas de que parte da população seja o principal  responsável pelo  aumento do covid-19 nas cidades. O povo ignora o perigo e  também as medidas que ajudariam a evitar a propagação da doença. Como exemplo, bares cheios, ruas, locais de atividades físicas, chácaras, praias, todos lotados de pessoas sem o uso de máscaras. E o que é pior: não existe fiscalização do poder público para coibir a desordem.

Também, talvez o poder público seja o maior responsável pelo avanço do coronavírus. As regras de combate ao covid-19 são flexibilizadas e as autoridades fecham os olhos para não enxergar o aumento da doença, afinal de contas, as eleições estão chegando, e impor medidas enérgicas em tempo de política é algo  visto como “monstruosidade “.



 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento