31/05/2020 às 08h14min - Atualizada em 31/05/2020 às 08h14min

Pai mata a própria filha de 14 anos e diz que foi ‘crime de honra’


Foto: Divulgação 
 
Uma adolescente de 14 anos fugiu de sua casa o namorado de 35 anos depois que o pai dela se opôs ao casamento deles.
 
No entanto, o casal foi encontrado pela polícia e a menina foi levada de volta à sua casa, apesar de ter dito que temia por sua vida.
E os temores dela tinham fundamento. Ela foi morta na semana passada por seu próprio pai.
O homem decapitou sua filha com uma foice e, depois de se render à polícia, disse que era um "crime de honra", uma prática que persiste em vários setores da sociedade iraniana e é praticada por familiares que alegam que as vítimas danificaram o prestígio ou a honra da casa.
 
O homem confessou o crime sem hesitação e apontou que se tratava de um "crime de honra", e que o cometera porque sua filha o desobedeceu e traiu sua família.
 
O caso ecoou por jornais iranianos, com vários órgãos lamentando o fracasso da legislação do país em proteger mulheres e meninas.
 
O caso aconteceu no Irã.
 
Os crimes
 
O Código Penal Islâmico do Irã reduz medidas punitivas para pais e outros membros da família que são condenados por assassinato ou agredir fisicamente crianças em casos de violência doméstica ou "crimes de honra".
 
Se um homem for considerado culpado de assassinar sua filha em tais situações, a punição é de entre 3 e 10 anos de prisão, em vez da habitual sentença de morte ou do pagamento de diyeh (dinheiro de sangue, que é o pagamento à vítima ou herdeiros de uma vítima nos casos de homicídio, lesões corporais ou danos materiais) por assassinato. (fonte r7).


 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento