07/02/2020 às 06h26min - Atualizada em 07/02/2020 às 06h26min

Para jornalista e ativista, HIV/AIDS é uma questão de políticas de Estado e não de partido político



O presidente Jair Bolsonaro se manifestou em relação à campanha do governo que incentiva a abstinência sexual como prevenção de gravidez precoce e infecções sexualmente transmissíveis.
 
“Uma pessoa com HIV, além de ser um problema sério para ela, é uma despesa para todos aqui no Brasil”, disse ao sair do Palácio da Alvorada.
 
Já para o membro do comitê de saúde integral da cidade de São Paulo, o tocantinense jornalista  Wemerson Lima ,afirma que fica evidente o total despreparo do chefe do executivo fazer tal afirmação.
 
Wemerson afirma que esse assunto é uma questão de governo e não de partido. “Sabemos que na política de implantação do SUS  combater e  prevenir são políticas de Estado, não uma política de governos ou partidos, ancorada nos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e na garantia dos direitos humanos”.
 
Wemerson disse ainda que Bolsonaro culpa o PT. “Essa liberdade que pegaram ao longo do PT que vale tudo, chega a esse ponto, uma depravação total”.
 
O programa que incentiva a abstinência sexual é idealizado pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, junto com o Ministério da Saúde.
 
Para Wemerson a campanha  precariza mais ainda a informação de qualidade e prevenção de outras epidemias e contaminações, a política de saúde deve ser difundida sem esses tabus e preconceitos. “Precisamos fazer prevenção combinada, o Brasil precisa avançar em vários temas um deles é a questão de HIV/AIDS. Precisamos falar sobre HIV/AIDS”, declarou Wemerson Alves Lima, jornalista e ativista pelos direitos humanos membro do comitê de saúde integral de São Paulo.
 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco pelo Whatsapp
Atendimento